Nossa Senhora, Rainha de Fátima [PARTE 03]

Em 13 de setembro a multidão já era imensa e as crianças só conseguiram chegar ao local da azinheira com ajuda de alguns homens que iam abrindo-lhes o caminho. Nas suas memórias Lúcia descreve como via a fé daquele povo, suas misérias e necessidades, escreveu que uns gritavam para pedir curas, outros conversão, outros ainda que a Virgem lhe trouxesse o filho da guerra, o marido, alguns subiam em cima das árvores e paredes pelo caminho para vê-los passar.

Conseguiram chegar à Cova da Iria, próximo a carrasqueira e começaram a rezar o terço com o povo. Pouco depois perceberam a luz que começava a refletir de forma intensa sobre o arbusto e a Virgem apareceu-lhes, Ela pediu para que voltassem no próximo mês e que continuassem a rezar o terço para o fim da guerra. Como faziam penitência trazendo ao pescoço uma corda, Ela disse que Deus estava feliz com a penitência, mas que não dormissem com a corda, que andassem com ela apenas durante o dia. Lúcia disse que algumas pessoas pediram curas, a Virgem Maria disse que algumas seriam concedidas, outras não, logo depois começou a desaparecer como de costume.

No dia 13 de outubro de 1917, contando com as dificuldades de chegar ao local que fora no mês anterior, as crianças saíram de casa bem cedo. De tudo que Lúcia havia descrito no mês anterior, neste fora mais intenso, uma chuva torrencial caia naquele dia. As pessoas se ajoelhavam no barro, nada as impedia de chegar ao local onde a Virgem Maria, Rainha de Fátima, apareceria pela última vez e cumpriria sua promessa de fazer um milagre.

Lúcia, com um impulso inexplicável pediu àquela multidão que fechassem seus guarda-chuvas para rezarem o terço. Logo depois a luz que antecedia as Aparições começou a refletir sobre a carrasqueira e Nossa Senhora apareceu-lhes. Lúcia perguntou o que queria, Ela respondeu: “Quero dizer-te que façam aqui uma capela em Minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas”.  Depois tomou um aspecto mais triste pedindo que não ofendessem mais o Nosso Senhor.

E desta vez, abrindo as mãos fê-las refletir no sol, Lúcia gritou – olhem para o sol – foi neste momento em que o sol girou milagrosamente, as pessoas que estavam encharcadas por causa da chuva, tiveram suas roupas secas, muitas curas aconteceram naquele instante.

Em suas memórias Lúcia diz ter visto São José abençoando o mundo, assim também Jesus, Nossa Senhora das Dores e Nossa Senhora do Carmo. Assim todos os que acreditavam tiveram sua fé renovada e aqueles curiosos, incrédulos puderam ver o poder que vem de Deus através das mãos da Virgem Maria.

No dia 04 de abril de 1919 o vidente Francisco Marto morreu em Aljustrel e sua irmã Jacinta Marto em 20 de fevereiro de 1920 no hospital de D. Estefânia, em Lisboa. Em 1º de maio de 1951 foi transladado os restos mortais de Jacinta Marto para a Basílica do Santuário e em 13 de maio de 1952 os resto de Francisco Marto.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Dorotéia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente na Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917.

Em 07 de julho de 1952 o Papa Pio XII consagrou os Povos da Rússia ao Imaculado Coração de Maria e em13 de maio de 1982 o Papa João Paulo II foi em peregrinação a Fátima para agradecer ter escapado com vida, um ano antes, na Praça de São Pedro ao atentado, e de joelhos, consagra a Igreja, os Homens e os Povos, com menção velada da Rússia, ao Imaculado Coração de Maria.
Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.

Hoje não temos mais entre nós a Ir. Lúcia, que faleceu em 13 de fevereiro de 2005, mas a mensagem de Rezarmos o Terço, fazermos Penitência pela conversão dos pecadores e principalmente à devoção a Nossa Senhora de Fátima nos deixa mais próximos de Deus. Todos os anos milhares de devotos, peregrinos se dirigem a Fátima, com pedidos e Ações de Graças. Também nós em Viçosa, temos esta devoção e contamos com Esta Padroeira, Rainha e Intercessora junto de Jesus.

Bibliografia:
http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html
http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=2634
http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=2635
http://www.fatima.pt/portal/index.php?id=1312

Posted in Artigos and tagged , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.