XVI Congresso Eucarístico Nacional

Em Brasília, “coração do governo da nação”, aconteceu nos dias 13 a 16 de maio o XVI Congresso Eucarístico Nacional, cujo tema foi “Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos Missionários” e o lema; “Fica Conosco, Senhor!”

Desde o primeiro Congresso Eucarístico ocorrido no Brasil no ano de 1933, nossa Igreja tem experienciado de tempos em tempos a graça de prestar culto público ao Santíssimo Sacramento e certamente, colhido os frutos exitosos que advêm de tão salutar dádiva para a Igreja.

Um desafio que observamos na cidade era a expectativa de que o Congresso Eucarístico despertasse nos cidadãos do Distrito Federal, a alegria e a esperança, a contrapor o sentimento acanhado que perdura após o longo período de sucessivos escândalos políticos.

Pontos altos marcaram o Congresso Eucarístico a exemplo da missa de abertura no dia 13 de maio; a procissão com o Santíssimo do Centro de Convenções até a Esplanada dos Ministérios; a missa da juventude presidida por Dom Geraldo Lyrio Rocha, seguida da vigília dos jovens diante de Jesus Eucarístico até as seis da manhã e, finalmente a missa de encerramento.

Eventos destinados exclusivamente aos delegados das dioceses brasileiras, previamente inscritos, ocorreram no centro de convenções, sendo estes mais centrados como os simpósios teológico e de bioética, as oficinas temáticas e momentos de oração como a Liturgia das Horas e missa.

Ao longo dos dias outras atividades paralelas aconteceram: adoração, missas celebradas pelos bispos nas 120 paróquias daquela arquidiocese, a primeira comunhão eucarística de mil crianças, exibição fotográfica sobre os milagres eucarísticos, jornada sacerdotal.

Nossa participação se deu, em comunhão com cerca de outros vinte delegados da Arquidiocese de Mariana, naqueles eventos ocorridos na esplanada e nos simpósios e oficinas. Uma percepção nítida foi da ausência de um maior número de leigos e leigas das dioceses brasileiras. Notável no entanto a qualidade com que os expositores apresentaram os temas a eles confiados. No entanto, pareceu-me limitado uma exposição que contemplasse as realidades sofridas de nossas comunidades, especialmente em vista da necessidade de uma Igreja que deve voltar as atenções com ardor pastoral para as comunidades mais pobres e sofredoras e na luta contra as situações que carecem de transformação a partir da experiência com a Eucaristia.

A Arquidiocese de Brasília demonstrou eficácia na organização de todo o Congresso. As hospedagens dos congressistas foram em casas de famílias e somos testemunhas da extrema fraternidade e acolhida com que cuidaram dos participantes naqueles dias. Em nada as famílias brasilienses deixaram a desejar.

A missa de encerramento com mais de 90 mil pessoas, num sol escaldante, em temperatura superior a 32 graus foi presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, enviado especial do Papa Bento XVI, que afirmou que o congresso manifestou uma vez mais que a Eucaristia é fonte e centro da vida da Igreja e de cada cristão. Dom Cláudio destacou ainda, alguns dos diversos mártires brasileiros que morreram dando testemunho do amor de Cristo na Eucaristia, propondo aos sacerdotes imitá-los no seguimento a Jesus Cristo e no amor à sagrada Eucaristia. Ao final, Dom Geraldo anunciou que a CNBB aprovou a realização do próximo Congresso Eucarístico em Belém, no Estado do Pará.

Finalmente, penso que o XVI Congresso de Brasília dará frutos à Igreja do Brasil e já serviu ao povo da arquidiocese de Brasília para reerguê-los na fé e na auto-estima, sobretudo, neste tempo de penúria política. Igualmente, mostrou ao Brasil inteiro, pelo testemunho vivo revelado a todos nós que convivemos por lá aqueles dias de graça, que Brasília é lugar onde há muita gente boa, tem um povo acolhedor e adorador de Jesus Eucarístico e daquele planalto irradia a motivação para que sejamos todos, discípulos missionários de Jesus Cristo, o verdadeiro Pão da Unidade.

José Oscar Salgado

Coordenador Leigo Paroquial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.